ESTE SERVIÇO PODE CONTER TRADUÇÕES FEITAS PELO GOOGLE. O GOOGLE SE ISENTA DE TODAS AS GARANTIAS RELACIONADAS ÀS TRADUÇÕES, EXPRESSAS OU IMPLÍCITAS, INCLUINDO QUALQUER RESPONSABILIDADE EM RELAÇÃO À PRECISÃO, CONFIABILIDADE E QUALQUER DEVER IMPLÍCITO SOBRE SUA COMERCIALIZAÇÃO, ADEQUAÇÃO PARA UM FIM ESPECÍFICO E NÃO-VIOLAÇÃO.

Para sua conveniência, o site da Kaspersky Lab foi traduzido com a utilização do software de tradução Google Tradutor. Foram realizados esforços razoáveis para o oferecimento de uma tradução precisa; entretanto, as traduções automatizadas não são perfeitas e tampouco pretendem substituir a tradução qualificada de especialistas. Essas traduções são fornecidas como um serviço para os usuários do site da Kaspersky Lab e são exibidas "como estão". Não há nenhuma garantia de qualquer tipo, seja expressa ou implícita, sobre a precisão, confiabilidade, ou exatidão de quaisquer traduções feitas do inglês para qualquer outro idioma. Alguns conteúdos (como imagens, vídeos, Flash, etc.) podem não estar corretamente traduzidos devido às limitações do programa de tradução.

Email-Worm.VBS.Peach

Classe Email-Worm
Plataforma VBS
Descrição

Detalhes técnicos

Esse worm da internet se espalha por mensagens de e-mail e se envia de PCs infectados quando é ativado. Ele usa o sistema de e-mail do Microsoft Outlook para se enviar para destinatários, cujos e-mails são armazenados no Catálogo de Endereços do Outlook.

O worm é escrito na linguagem de programação Visual Basic Script (VBS). Ele funciona somente em sistemas operacionais com o Windows Scripting Host instalado (o WSH é instalado por padrão no Windows 98 e no Windows 2000).

O worm usa um arquivo PDF como host. O código do vírus é incluído nesse arquivo como um objeto incorporado, e o worm pode ser ativado apenas manualmente.

Quando um arquivo PDF é aberto pelo programa Adobe Acrobat (o worm não funciona no Acrobat Reader), um usuário é oferecido para jogar um jogo simples, que é armazenado em um objeto incorporado.

Depois que o objeto incorporado é ativado, o programa Adobe Acrobat (http://www.adobe.com/acrobat) extrai o código VBS, grava-o em uma pasta tempopary e o inicia.

O código do vírus cria um arquivo JPG em um disco e o mostra usando o Internet Explorer.

Em seguida, o worm tenta localizar o arquivo PDF host no disco e, se encontrar o arquivo, o envia aos destinatários especificados no Catálogo de endereços do Outlook.

Para se enviar, o worm escolhe aleatoriamente um nome de anexo, assunto e corpo da mensagem.

O assunto da mensagem pode conter as seguintes strings:

"Você tem um minuto para encontrar o pêssego"
"Encontre o pêssego"
"Encontrar"
"Pêssego"
"Gracejo"

O assunto também pode conter o prefixo "FW:" e um ponto de exclamação no final dele.

O corpo da mensagem é montado a partir das seguintes sentenças:

"Tente encontrar o pêssego"
"Tente isso"
"Pesquisa interessante"
"Eu não costumo enviar essas coisas, mas …"

O nome do anexo pode ser o seguinte:

"find.pdf"
"peach.pdf"
"encontrar o peach.pdf"
"find_the_peach.pdf"
"joke.pdf"
"search.pdf"

O worm usa um algoritmo muito complexo para se enviar, às vezes resultando no envio do worm.


Link para o original