ESTE SERVIÇO PODE CONTER TRADUÇÕES FEITAS PELO GOOGLE. O GOOGLE SE ISENTA DE TODAS AS GARANTIAS RELACIONADAS ÀS TRADUÇÕES, EXPRESSAS OU IMPLÍCITAS, INCLUINDO QUALQUER RESPONSABILIDADE EM RELAÇÃO À PRECISÃO, CONFIABILIDADE E QUALQUER DEVER IMPLÍCITO SOBRE SUA COMERCIALIZAÇÃO, ADEQUAÇÃO PARA UM FIM ESPECÍFICO E NÃO-VIOLAÇÃO.

Para sua conveniência, o site da Kaspersky Lab foi traduzido com a utilização do software de tradução Google Tradutor. Foram realizados esforços razoáveis para o oferecimento de uma tradução precisa; entretanto, as traduções automatizadas não são perfeitas e tampouco pretendem substituir a tradução qualificada de especialistas. Essas traduções são fornecidas como um serviço para os usuários do site da Kaspersky Lab e são exibidas "como estão". Não há nenhuma garantia de qualquer tipo, seja expressa ou implícita, sobre a precisão, confiabilidade, ou exatidão de quaisquer traduções feitas do inglês para qualquer outro idioma. Alguns conteúdos (como imagens, vídeos, Flash, etc.) podem não estar corretamente traduzidos devido às limitações do programa de tradução.

Virus.Win16.Gollum

Classe Virus
Plataforma Win16
Descrição

Detalhes técnicos

Este é um vírus parasita que "permanece residente" no Windows e no Windows95, conecta o acesso a arquivos em disco e infecta arquivos DOS EXE. Este é um vírus multipartite, porque afeta duas plataformas diferentes – Windows e DOS. O vírus não infecta os arquivos executáveis ​​executáveis ​​(PE) nem os arquivos EXE executáveis ​​do Windows (NE), mas permanece no Windows como um driver VxD para interceptar e infectar arquivos EXE do DOS. Assim, o vírus não infecta arquivos do Windows, mas a memória do Windows, e não infecta a memória do DOS, mas infecta arquivos EXE do DOS.

Quando um arquivo EXE do DOS infectado é executado, o vírus somente descarta seu VxD (o arquivo GOLLUM.386), registra-o no arquivo SYSTEM.INI do Windows, retorna ao programa host e não executa nenhuma outra ação. Quando o Windows está sendo iniciado, ele carrega esse vírus VxD, o vírus assume o controle, conecta a cadeia de interrupções do V86 e, em seguida, infecta os arquivos EXE do DOS. O dropper GOLLUM.386 tem 6592 bytes de comprimento, enquanto infectando adiciona 7167 bytes para arquivos EXE do DOS.

Arquivo DOS infectado EXE

O vírus no arquivo EXE do DOS é criptografado pela instrução NOT (XOR 0FFh). Assim, quando um arquivo infectado é executado, o vírus assume o controle e se descriptografa. O loop do comando de decodificação contém um truque bobo de anti-depuração, e deve-se ter cuidado ao analisar o código do vírus.

O vírus, em seguida, procura por arquivo SYSTEM.INI do Windows. Existem cinco nomes usados ​​pelo vírus:


C: WINDOWSSYSTEM.INI
C: WINSYSTEM.INI
C: WIN31SYSTEM.INI
C: WIN311SYSTEM.INI
C: WIN95SYSTEM.INI
Se não houver tais arquivos, o vírus não soltará seu VxD e retornará ao programa host. Caso contrário, ele cria o arquivo GOLLUM.386 (vírus VxD) no diretório do Windows e insere no arquivo SYSTEM.INI o comando que carrega este VxD:

DISPOSITIVO = GOLLUM.386
Este comando é inserido na seção [386Enh] – o vírus procura a string "[386" e escreve o comando para lá:

System.ini antes e depois da infecção
… …
[386Enh] [386Enh]
mouse = * vmd DEVICE = GOLLUM.386

mouse = * vmd

O vírus não dropa seu VxD duas vezes – ele varre o arquivo SYSTEM.INI para a string "GOLLU" e encerra a rotina de infecção se esta string for encontrada.

Vírus no arquivo VxD

Vírus VxD (o arquivo GOLLUM.386) tem o formato LE (Executável Linear). O stub EXE do DOS neste arquivo contém uma rotina curta que alterna para o modo de vídeo de texto padrão e exibe o texto:

GoLLum!
A parte LE deste arquivo contém a rotina de instalação que obtém e armazena o caminho de inicialização (para usar na rotina de infecção), hooks INT 21h (cadeia de interrupção V86), manipulador INT 21h, rotina de infecção e código EXE DOS de vírus. O manipulador de vírus INT 21h intercepta três chamadas: Load and Execute (4B00h), Terminate (4C00h) e Change Directory (3Bh).

Quando um arquivo é executado, o vírus só salva seu nome e retorna o controle. A rotina de infecção controla o término da chamada. No início, o vírus verifica o nome do arquivo. Ele infecta os arquivos somente na unidade C: e não infecta os arquivos SCAN *. *, F-PR *. *, TB *. * (Programas SCAN, F-PROT e ThunderByte), assim como arquivos com nome que contém letra ou dígitos 'V'. O vírus também não infecta os arquivos com comprimento inferior a 7167 bytes.

O vírus então abre o arquivo, lê e verifica seu cabeçalho. O vírus verifica o selo EXE (MZ no início do arquivo) e os sinalizadores NewExe, mas falha e, em alguns casos, infecta os arquivos NewExe como DOS EXE. Isso pode corromper arquivos. Para evitar a infecção duplicada, o vírus compara o campo CRC (deslocamento 12h no cabeçalho EXE) com dois bytes – 52h 43h (ASCII "RC").

O vírus então infecta o arquivo de maneira padrão que é usada pela maioria dos vírus do DOS – ele grava seu código (partes DOS e VxD) no final do arquivo e modifica o cabeçalho EXE (valores iniciais, tamanho de módulo e identificador "RC"). Para evitar violação de acesso a código / dados durante a gravação da parte VxD, o vírus a copia de GOLLUM.386 no caminho de inicialização que foi armazenado durante a instalação do vírus VxD.

A rotina de infecção é concluída e o vírus fecha o arquivo, além de restaurar os atributos de arquivo e o registro de data e hora do arquivo.

Rotinas de Trigger

Durante a instalação, em 4 de junho, o vírus envia uma mensagem do sistema com o texto que força o Windows a exibir esse texto como uma mensagem de erro do sistema:

GoLuM ViRuS de Griyo / 29A
Lá no fundo, perto da água escura, vivia o velho Gollum, um pequeno e viscoso
criatura. Eu não sei de onde ele veio, nem quem ou o que ele era. Ele
era um Gollum -como escuro uma escuridão, exceto por dois grandes olhos redondos e pálidos
em seu rosto magro.
JRR ToLkieN … O HoBBit
pressione qualquer tecla para continuar
Ao selecionar um diretório (INT 21h Change Directory call), o vírus obtém o temporizador do sistema e, dependendo do seu valor (com probabilidade 1/256) cria o arquivo GOLLUM.EXE no diretório atual e copia seu VxD GOLLUM.386 para lá. Quando este arquivo EXE é executado no DOS, a rotina stub do DOS exibe:

GoLLum!
Para evitar a detecção por verificadores de integridade antivírus, o vírus exclui seus bancos de dados: ANTI-VIR.DAT, CHKLIST.TAV, CHKLIST.MS, AVP.CRC, IVB.NTZ.

O vírus também contém as strings:


GoLLuM ViRuS para Microsoft Windows da GriYo / 29A
GPTrap_DDB


Link para o original